Me siga por e-mail e receba as atualizações do Blog

Wednesday, April 30, 2014

Violência Contra Mulheres no primeiro trimestre de 2014

Denúncias de violência contra a mulher pelo Ligue 180 caem 27,3%

Secretaria de Mulheres atribui queda a campanha menos massiva em 2013.
Maioria relata agressões físicas e a partir de pessoas com relações afetivas.


A Secretaria de Políticas para as Mulheres informou nesta quinta-feira (24) que o número de ligações para a Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 caiu 27,3% na comparação entre 2012 e 2013. Segundo o balanço divulgado, no ano passado foram 532.711 ligações, contra 732.451 no ano anterior.

A redução no número de denúncias por telefone não significa que a violência diminuiu. A secretária de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, atribuiu a queda nas ligações a uma campanha menos "massiva" para divulgar o serviço.
"Nós entendemos que essa queda se deu porque no ano passado houve queda no investimento de campanha massiva. Porém, é importante dizer que mesmo com a queda no número, houve alta no número de atendimento nos municípios, que em 2012 houve cobertura em 17 estados e neste ano, em 23 estados", disse a secretária.
Balanço divulgado pela pasta informa que foram realizados 106,8 mil encaminhamentos das denúncias recebidas pela central. Os encaminhamentos, segundo a secretária, são orientações sobre como os denunciantes devem proceder.
  •  
Nós estamos conseguindo fazer com que a violência incomode as pessoas, as pessoas estão percebendo que violência é crime e estão tomando posição"
Aparecida Gonçalves,
secretária de Enfrentamento à
Violência contra as Mulheres
"Apesar de o número na comparação com 2012 ter diminuído, o número de pessoas que estão ligando para o Ligue 180 é um número muito representativo. [...] Estamos falando aqui em mudança de comportamento, nós estamos conseguindo fazer com que a violência incomode as pessoas, as pessoas estão percebendo que violência é crime e estão tomando posição e isso é uma coisa fundamental", disse.
Conforme a secretária, após a pessoa denunciar situação de violência contra a mulher, recebe orientação e o caso pode ser encaminhado às secretarias de Segurança Pública estaduais. O serviço não funciona como Disque-Denúncia, em que o relato leva à abertura de investigação e posterior processo judicial, mas serve apenas para orientação. A ligação é gratuita.
Segundo o levantamento, os estados com o maior número de municípios que fizeram denúncias no ano passado são Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Sul, Paraná e Maranhão.
Em termos proporcionais relativos à população feminina dos municípios, as cidades que mais denunciaram casos de violência contra a mulher no ano passado foram Gabriel Monteiro (SP), Amapá (AP), Sagrada Família (RS), Salvador das Missões (RS) e Cabralia Paulista (SP). Segundo a secretária Aprecida Gonçalves, brasileiras que moram na Espanha, Itália e Portugal também pode fazer denúncias pelo Ligue 180.
De acordo com a Secretaria de Políticas para as Mulheres, as principais formas de agressão às mulheres denunciadas pelo 180 são:

- física (54,7%)
- psicológica (30,6%)
- moral (10,4%)
- patrimonial (1,9%)
- sexual (1,7%)
Os agressores, segundo a pasta, são:

- pessoas com relações afetivas: 80,26%
- pessoas com relações familiares: 12,95%
- pessoas com relações externas: 6,54%
- pessoas com relações homoafetivas: 0,26%Link para matéria no G1

No comments:

Post a Comment

Deixe seu comentário aqui!!