Me siga por e-mail e receba as atualizações do Blog

Tuesday, March 15, 2011

Tipos de briga que destroem o relacionamento amoroso

15/03/2011


Nesse artigo vamos tratar das brigas entre casais. Essas brigas são comuns entre pessoas que convivem. Essas pessoas estão sujeitas a inúmeras fontes de tensão, tanto aquelas causadas por acontecimentos externos ao relacionamento como aquelas causadas por acontecimentos que envolvam o parceiro. Vamos tratar aqui principalmente das brigas verbais entre parceiros amorosos.

Os casamentos podem ser classificados de acordo com a forma como os cônjuges lidam com as suas divergências. Usando esse critério, John Gottman1classificou os casamentos em três tipos: volátilvalidante e evitativo. No volátil, os cônjuges brigam muito e estão mais preocupados em ganhar as disputas do que em ouvir o ponto de vista do outro. No validante, os cônjuges conversam calmante sobre suas divergências. Cada cônjuge ouve atentamente o argumento do outro, reconhece a sua validade, quando isso é pertinente, e tenta negociar as suas divergências. No evitativo, os parceiros evitam atritos. Geralmente eles preferem se calar a entrar em uma discussão. Eles “concordam em discordar”.
Embora quem leia essa descrição possa identificar o validante como aquele tipo de casamento que tem a forma ideal de resolver as pendências, todos esses três tipos podem ser bem ou mal sucedidos. Portanto, brigar muito, discutir calmamente as divergências ou evitá-las não são bons preditores das chances de sucesso ou de fracasso de um relacionamento amoroso.
Alem disso, a capacidade de reconciliação e as formas eficientes de resolver pendências que não envolvam brigas também são determinantes poderosos da qualidade e estabilidade do relacionamento.
Mais importante do que brigar ou não brigar é a freqüência das brigas, as ocasiões onde elas acontecem e, principalmente, a maneira de brigar. Este artigo vai abordar principalmente este último fator.

A expressão de raiva pode ser benéfica para o relacionamento
Expressar raiva, embora muitas vezes seja desagradável para quem expressa e para quem ela é dirigida, pode ser benéfico.  Alterar o tom da voz, mostrar expressões faciais de insatisfação e raiva e até dizer alguns palavrões pode ser saudável para o expressor e ajudar os parceiros a respeitarem os seus limites mútuos.

Os quatros cavaleiros do apocalipse

Gottman identificou quatro tipos de conteúdos de brigas que, quando são frequentes ou continuados, indicam que o relacionamento pode estar se deteriorando e caminhando para o fim. Esses conteúdos seriam, portanto, arautos do fim do relacionamento e, por isso, foram denominados por esse autor como “Cavaleiros do Apocalipse”. Muitas vezes uma única apresentação de um desses conteúdos pode produzir feridas difíceis de cicatrizarem (“Aquelas palavras que nunca vou esquecer”).
Esses “Cavaleiros” são os seguintes:
Criticismo: disparar uma saraivada de críticas ou reclamações. Essa forma de proceder funciona mais um tipo de agressão do que como uma tentativa de solução de problemas. Fica muito difícil para quem ouve uma saraivada de críticas atender a todas elas. Para atendê-las seria necessária uma mudança radical na forma de agir e ser.
O criticismo funciona como uma espécie de rejeição em bloco do parceiro ou de vários dos seus comportamentos e características. Essa rejeição é o oposto da aceitação que deve reger um bom relacionamento entre pessoas que mantêm uma relação conjugal entre si e querem viver harmonicamente.
O criticismo é diferente da crítica. A crítica envolve uma reclamação clara sobre um comportamento específico do companheiro e a busca por soluções. A crítica, quando usada moderada e adequadamente é benéfica e necessária para o relacionamento. É através dela que os parceiros reconstituem as suas zonas de conforto e vão corrigindo a rota dos seus relacionamentos.
- Desrespeito: atacar a personalidade ou a moral do parceiro, mostrar desprezo por ele e atacar aquilo que ele preza (como os seus parentes, por exemplo) só para diminuí-lo ou feri-lo. Desprezar alguém ou rejeitar uma característica sua que é difícil de mudar é o pólo oposto da admiração que é um dos requisitos para apaixonamento e amizade. 
O desrespeito degrada o relacionamento e coloca aquele que é degradado em um tipo de relacionamento que se situa aquém do desejável e sustentável.
Por trás do desrespeito geralmente está a convicção de que o parceiro tem algo de muito ruim. Naqueles relacionamentos que têm um fim tempestuoso frequentemente um ou ambos os parceiros acabam sendo vistos como uma espécie de demônio, como será  no tópico abaixo.
Defensividade. Assim que o parceiro começa a apresentar uma reclamação ou uma crítica, o seu interlocutor começa a pensar em como se defender ou contra-atacar (“acusação cruzada”) deixa de considerar se a reclamação é justa e como poderia atendê-la. Por esse motivo, a defensividade blinda aquele que a utiliza das reclamações do parceiro e torna inúteis as suas reivindicações.
A acusação cruzada inviabiliza a possibilidade de mudança e a correção daquilo que está sendo criticado, uma vez que ela aponta que o reclamante também errou e, portanto, está tudo “zero a zero”.
Insensibilidade. Neste caso, o insensível  não se dá ao trabalho de ouvir as reclamações atentamente e de considerá-las ou respondê-las. Essa pessoa adota regra: “deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro”. Quando isso acontece, quem apresenta as reclamações fica com a sensação que está falando para as paredes.

Demonização do parceiro

Muitas vezes o relacionamento já está tão deteriorado e a imagem mútua dos seus participantes já está tão degradada que estes começam a se verem como demônios: tudo o que um deles faz ou deixa de fazer é visto pelo outro sob o pior ângulo possível como, por exemplo, com suspeição e determinado por más intenções. Quando o relacionamento está neste estado, os parceiros consideram o outro como um ser maligno cheio de intenções negativas, manipulativo e perigoso. Embora visão possa eventualmente ter bases reais, na maioria das vezes ela é fruto da distorção produzida pela raiva acumulada, pelo ressentimento e por acontecimentos que feriram ou magoaram profundamente quem distorce.
Esse mecanismo é o oposto da idealização que ocorre quando os parceiros estão apaixonados: nesta última situacäo quem está apaixonado vê o parceiro melhor do que ele é (por exemplo, uma pesquisa verificou que os apaixonados vêm os seus parceiros como mais dotados de qualidades do que os próprios amigos o vêem. Diga-se de passagem, que os amigos já distorcem suas percepções em seu favor).

Ocasiões das brigas

Deve-se evitar iniciar discussões ou apresentar reclamações nas seguintes circunstâncias:
- Quando o parceiro está envolvido em algo que aprecia muito. Quem recusa uma conversa em um dado momento fica com a obrigação de propor outra ocasião para que ela ocorra. O parceiro que está envolvido na atividade que não quer interromper pode dizer, por exemplo: “Você pode esperar terminar o noticiário para que possamos conversar?”
- Durante atividades que o casal tem satisfação em realizar junto: jantar, ir ao teatro, caminhadas ao ar livre. Este tipo de atividade deve ser preservado da contaminação pelo clima negativo que acompanha muitas das discussões e reclamações.
- Na hora de dormir: a discussão geralmente produz excitação e faz com que os envolvidos fiquem remoendo o que disseram e ouviram e, por isso, perdem ou sono ou dormem mal.
- Quando um ou ambos parceiros estão estressados devido a outro acontecimento. Nessa ocasião, as chances da discussão não ser produtiva é mais provável devido ao estado de espírito desfavorável produzido pelos outros acontecimentos

Homens demoram mais para se recuperar emocionalmente de brigas

Um dos motivos que fazem os homens evitarem as discussões é que eles demoram mais tempo para se recuperar das alterações emocionais do que as mulheres. Para explicar essa diferença, alguns autores hipotetizaram que as mulheres são naturalmente preparadas para recuperarem-se mais rapidamente porque elas têm que aleitar os filhos e as alterações emocionais prejudicam a produção do leite. Por isso, elas desenvolveram mecanismos para se recuperarem mais rapidamente do que eles.

Mulheres iniciam mais discussões do que os homens

Já vi evidencias que indicam que as mulheres iniciam a grande maioria das discussões. Também existem indícios de que elas praticam mais agressões físicas do que eles. Por exemplo, em uma pesquisa realizada aqui no Brasil, as mulheres admitiram ter batido nos parceiros 5,7 vezes e os homens admitiram ter batido nas mulheres 3,9 vezes no ano que antecedeu a entrevista. As agressões delas, no entanto, eram muito mais leves do que as deles2.
As mulheres que pedem mais frequentemente a separação legal do que os homens. Aqui no Brasil, cerca de dois terços das separações legais são pedidos por elas.
Já ouvi o argumento que elas iniciam mais discussões e pedem mais frequentemente as separações porque, para elas, o mau relacionamento traz mais danos do que para eles: existem evidências de que o mau relacionamento produz mais problemas físicos e psicológicos para elas do que para eles. Faz sentido.
A experiência do meu consultório confirma essas informações. Geralmente são as mulheres que tomam a iniciativa de procurar a terapia de casal. Os homens muitas vezes aparecem por lá para tratar desse problema simplesmente porque foram pressionados por elas.
Discutir e brigar são acontecimentos normais na maioria dos relacionamentos. O conteúdo das brigas, as suas frequências, os momentos que elas ocorrem e a relação entre a quantidades de coisas boas e ruins que são proporcionadas pelo relacionamento é que determinam a sua qualidade e durabilidade.
1Gottman, J. (1998). Casamentos. (Traduzido do original em inglês por T. B. Santos). Rio de Janeiro: Editora Objetiva Ltda.

24 comments:

  1. oi Samantha tudo bem?
    esses dias encontrei seu blog e li desde o início, me surpreendi muito, pois vc é uma mulher batalhadora e está de parabéns.
    percebi que de 2009 pra cá vc foi cada vez menos falando da sua vida pessoal, e parece que agora parou de vez, mas isso é um direito seu, apesar que foi muito legal ver sua história que foi de superação mesmo.
    Gostaria de saber se vc continuou a facul.

    bjs e que deus continue ate abençoar
    tatiane

    ReplyDelete
  2. Oi Samantha!Fiquei boba quando vi como você é linda!Até chamei meu marido pra ver tb!Seja grata pelo que aconteceu na sua vida, porque prmitiu que você deixasse de partilhar a sua vida com alguém que não está à sua altura. É isso, ele encontrou alguém com quem ele conseguiu se identificar, sabe Deus lá porque, uma tara talvez, tem cada tara que nem o diabo explica...Você só deve agradecer por você, lamentar por ele e pela "família" desfeita (se é que se pode chamar assim quando um dos integrantes não respeita o que tem) e rir, porque meu Deus, que absurdo!

    ReplyDelete
  3. "A experiência do meu consultório confirma essas informações. Geralmente são as mulheres que tomam a iniciativa de procurar a terapia de casal. Os homens muitas vezes aparecem por lá para tratar desse problema simplesmente porque foram pressionados por elas."

    Doutor, vc é meu heroi kkkkkkk

    show de bola samantha, adorei o post, bem rico de informações ;)

    Abraços,

    Marcelo Favoretto

    ReplyDelete
  4. Cara,onde acho seu livro para baixar??
    Acho que nao vale a pena comprar, mas estou interessado em ler.
    Obrigada

    ReplyDelete
  5. Lury querida(o), não leia meu livro não... eu particularmente acho que não valeria apena vc perder tempo com ele... pq pessoa como vc podem viver 300 anos que jamais teria inteligência para absorver uma boa história!

    Eu te indico outros livros, mas acredito que vc já tenha lido! ou se preferir pode ir ao cinema ... masssss com a sua inteligência talvez vc não tenha um emprego e não possa pagar.. daí tem os camelôs que vendem pirata.. mas ainda não sei se vc teria inteligência para interpretar a personagem... Fazer o que né...

    ReplyDelete
  6. Samantha,
    olhei rapidinho a sua história hoje, ou seja, não conheço muito bem. Estava baixando uns filmes na internet (filmes legais, concorrentes ao Oscar) e acabei me deparando com o seu blog. Só que li sobre o seu curso de línguas (acho que em 2008), e, só por curiosidade, o seu curso existe no RJ? Aqui tem um (Wizards) que oferece vários idiomas tb. Seria este? É que eu tenho o maior interesse em continuar a estudar línguas (parei pelo mesmos motivos que você tinha parado).
    Bem, tudo de bom, saúde para você e filhos e rezo para que você continue acreditando no casamento. Se for possível segura na mão de Deus que vai dar tudo certo, independente das circunstâncias.
    Não costumo frequentar blogs e tal mas sua simpatia me deixou a vontade.
    Abraços,
    Marcelo

    ReplyDelete
  7. Samantha, eu gostaria de saber mais sobre o seu filme, tipo, qual eh a atriz que vai te interpretar, e o ator que vai fazer seu ex-marido, essas coisas...

    TO MTO ANSIOSO!!

    Bjão.

    ReplyDelete
  8. Marcelo, não tenho curso de linguas... não entendi! Se eu puder te ajudar!

    ReplyDelete
  9. Olá,

    acho que me expressei mal, (ficou com duplo sentido ;-)). Cometei sobre um curso de inglês e francês que você fez ou faz, ou seja, frequentou ou frequenta (se não me engano em uma página do seu blog de 2008).
    Não era sangria desatada ... nada urgente ....
    Obrigado,

    abraços,
    Marcelo

    ReplyDelete
  10. SAMANTHA, ontem li seu livro logo depois de ter lido o outro.aff, sem comentarios!
    Você é realmente uma mulher incrivel!
    Acabei de postar no face que o tal filme deveria ser baseado na sua história.você sim é um exemplo para todas nós mulheres.
    a partir de hoje voce ganhou mais uma fã.E de carteirinha, viu?
    viviane

    ReplyDelete
  11. Samantha: comprei o teu livro 'depois do escorpião' e já acabei de lê-lo no mesmo dia, estou ferroada por idêntico veneno e sei bem o sabor que desfrutamos em formular, com as nossas próprias forças internas, o antídoto para tudo isso...a vontade de viver, justamente porque acreditamos no verdadeiro amor,nos faz encarar venenos que não nos matam e sim nos fortalecem!

    ReplyDelete
  12. Estou realmente encantada de te-la encontrado neste blog e ver tudo de bom e apessoa maravilhosa que vc eh principalmente depois de ter ido ao cinema ontem e ter voltado pra casa arrasada depois de ver tanta bobagem e tanta sujeira.... Ainda fiz uma piadinha pro meu marido antes de sair dizendo que ia tentar aprender alguma coisa pra apimentar nosso relacionamento... DEUS ME LIVRE... Ainda bem que te encontrei aqui, uma mulher da vida real, como eu, que procurou viver do maneira mais ortodoxa possível, mão de família, apaixonada pela família e que coloca a família acima de tudo... Batalhadora, guerreira, sabe que não se pode ter tudo na vida e tampouco quer conquistar as coisas fáceis... Seu blog "higienizou" minha mente do lixo de ontem... Parabéns, vc eh mulher de verdade....

    ReplyDelete
  13. Samantha, gostaria de lhe convidar para dar uma entrevista no meu blog. Sou jormalista, escrevo para o Conexão Slz.

    ReplyDelete
  14. Imorta sempre como regimos, nunca o que aconteceu. Uma pessoa forte, inteligente, decidida e com saúde física e mental cria sua prórpia realidade. Te desejo felicidade.

    ReplyDelete
  15. Oi Samantha .. vc é muito linda .. desejo na sorte na sua vida .. Fiquei boba em como o seu marido pode deixa-la por aquilo.. Enfim .. vc tbm era muito para ele .. quem sabe agora encontre alguem que te mereça de verdade.
    Beijos e parabéns pelo Blog.,..

    ReplyDelete
  16. Oi linda! parabéns por sua determinação, o Brasil precisa de exemplos como o seu ou melhor como os nossos, que somos vecendoras e batalhadoras, criamos nossos filhos, mesmo sozinhas, pq criar não é só da uma pensãozinha mediocre e sim ensina-los como sobreviver ao mundo, uma pena que esses casos não dao Ibope, nem são temas de filmes brasileiros.

    Um grande beijo
    de sua eterna Fã e seguidora.
    Helen

    ReplyDelete
  17. Perdeu Playboy!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ReplyDelete
  18. Samanta
    Vc esta de parabéns com seu blog. Infelizmente os valores hj em dia estão invertidos, e por isso mta gente amou a bruna surfistinha. Teu blog esta ótimo, vc é lindissima
    e com essa blz e inteligencia vc vai longe
    Parabéns

    ReplyDelete
  19. Gostei do seu blog.
    Bjuxxxxxxx.

    ReplyDelete
  20. Samantha vi o seu blog hoje e fui correndo comprar o seu livro... devorei em algumas horas... parabéns pela mulher que você é! Não desista nunca! Seje forte sempre! Ame muito! Na maioria das vezes só vemos um lado da historia mas dessa vez as pessoas irão ver os dois lados! bjs Tárcia

    ReplyDelete
  21. aaaaaah que considencia Nós temos o mesmo nome XD Meu é Samantha Moraes

    ReplyDelete
  22. Sinceramente se o seu ex marido te trocou por uma vagabunda arregassada, que deve ter aids de tanto homem que ela deu, é porque ele é um lixo e consumidor de lixo , agradeça a baranga por ter tirado o traste da sua vida e consumidor de droga porque ela é uma droga além de feia é podre , essa desculpa que mulher adotada fica revoltada, é ridicula, tnho muitos amigos adotados que nunca tiveram revolat e sederam bem na vida, ela teve oportunidade na vida bons pais , bons estudos um irmao preocupado jogou tudo na lata do lixo, conseguiu seu ex porque ele gosta de lixo de artigo de quinta categoria, você saiu ganhando de longe

    ReplyDelete

Deixe seu comentário aqui!!